segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Sensacionalismo e Mídias

   Até algum tempo atrás, fantasia e realidade eram duas esferas completamente distintas: em meados do século XIX, era fácil olhar para um jornal e demarcar até onde ia o real e onde começava a ficção. Com o advento da Imprensa Marrom, porém, passou a ser muito difícil definir até onde o que era narrado era apenas fato. A exacerbação das fronteiras das notícias em direção ao sensacionalismo passou a permear todos os jornais de cunho popular.
   Observando-se todas as notícias publicadas hoje em dia, em impossível não se notar sempre uma tendência à tragédia, ou ao romance, ou às epopeias. O entretenimento tomou conta da imprensa.
   Não se trata de diabolizar essa conduta midiática. Na verdade, a mídia apenas reflete aquilo que a sociedade vive. Quem não se sente inebriado ao ter a impressão de que a vida real não passa de um filme?
   Nesse caso, a cobertura extremamente espetacularizada do caso do goleiro Bruno só aconteceu porque havia uma audiência que ansiava por esse tipo de programação.